Sopa de Abóbora com Carne Seca

Ingredientes:
600 gramas de abóbora madura
200g de carne seca
1½ de água
caldo de legumes (opcional)
1 cebola ralada
1 dente de alho espremido
2 colheres de sobremesa de azeite
sal pimenta do reino

Modo de preparo:
1.       Antes de iniciar a sopa prepare a carne seca. Deixe-a de molho trocando a água para retirar todo o sal. Cozinhe bem e descarte o excesso de gordura aparente. Desfie-a e reserve (foto).
2.       Cozinhe a abóbora cortada em cubos grandes em uma panela de pressão com um pouco de e sal até que a mesma esteja macia, aproximadamente 15 minutos. Bata no liquidificador com um pouco da água da cocção e reserve (foto do creme)
3.       Em uma panela doure a cebola e o alho no azeite. Acrescente a carne seca e refogue por 5 minutos.
4.       Misture o creme de abóbora e tempere com a pimenta do reino. Corrija o sal.
5.       Sirva em uma cumbuca com pão torrado se desejar.


Dica: Como opção, a sopa pode ser servida dentro de uma abóbora pré-cozida (mini se for individual).

INVERNO: Alimente-se bem

Com a chegada do inverno é comum haver queda nas defesas do organismo, as mucosas ficam ressecadas e o conjunto desses fatores favorece os males da estação, como gripes, resfriados, e doenças do trato respiratório. Nesta estação deixamos os ambientes mais fechados, nos mantendo em constante contato com vírus e o uso de aquecedores diminue a umidade do ar.
Faz-se necessária a ingestão de uma quantidade maior de líquidos e nutrientes essenciais para fortalecer o sistema imunológico como proteínas magras, vitamina C, antioxidantes (resveratrol, quercitina), Vitamina A, Omega-3, entre outros, além de aumentar a ingestão de calorias. Para a manutenção corporal, na média, os adultos precisam de 300 a 500 calorias extras. Percebemos esta necessidade, na vontade de comer alimentos mais quentes e até mais calóricos, como sopas, chocolate quente, cozidos mais elaborados e até bebida alcoólica.
As casas de sucos estão repletas de bebidas que prometem combater o vírus da gripe e, consequentemente, as doenças respiratórias que vêm a reboque. Sucos de Laranja com cenoura, acerola, maracujá com mamão e beterraba. Mas segundo especialistas, a eficácia de combinados de frutas e legumes no combate a esses males comuns no inverno está mais ligada à ingestão de líquidos do que aos efeitos dos nutrientes. Essas vitaminas, no entanto, são capazes de reforçar o sistema imunológico desde que sejam consumidas em doses diárias. Portanto, aumente o consumo de líquidos em geral!!!!

Segue abaixo um quadro com dias de como se alimentar melhor no inverno, obtendo mais energia nos dias frios e mantendo a resistência e a saúde.
Consumir Moderadamente
Consumir Freqüentemente
Bebidas alcóolicas
Suco de Laranja, limão, acerola e Kiwi
Cozidos (feijoada, cassoulet, etc.)
Massas, arroz, Batatas assadas ou cozidas, cereais em geral e grãos
Hortaliças cruas e maioneses
Hortaliças cozidas no vapor, legumes cozidos, sopas e purês de legumes
Sobremesas com sorvete, chantilly e chocolates
Frutas em compota ou in natura
( morango, Kiwi, manga, abacate)

Pimenta, cravo, canela e gengibre (termogênicos)
O famoso quentão está na moda! Muito interessante unir bebida quente com o gengibre e especiarias. Aquece o corpo e pode ser feito sem álcool.

Uvas e vinho (antioxidantes – resveratrol)
Estudos comprovam que a ingestão moderada de vinho tinto diminui riscos de doenças cardiovasculares, doenças respiratórias, ajuda na digestão e até fortalece os ossos e diminui dores articulares.  Seus benefícios estão relacionados aos antioxidantes, principalmente o resveratrol. Uma taça de 120 ml de vinho tinto tem aproximadamente 85kcal e recomenda-se 1 taça para mulher e 2 para homem no máximo ao dia (não cumulativo).

Outras dicas
·         Mel pode reduzir a tosse por causa do “revestimento” na garganta irritada.
·         Canja de galinha: a carne desta preparação possui cisteína, que tem capacidade de agir sobre o muco, tornando-o menos espesso.
·         Iogurte: Alimento, rico em nutrientes e em bactérias que possuem efeito terapêutico, e auxiliam no sistema imunológico.
·         Tomate: Possui carotenóides (licopeno) com forte função antioxidante, auxiliando o sistema imune.
·         Maçã: expectorante.
·         Cuidado com o consumo excessivo de leite e derivados. Podem aumentar o espessamento da mucosa e atrapalhar sua remoção.

Nutrientes
·         Zinco (gérmen de trigo, ervilhas, feijões, brócolis, frutos do mar, etc.), auxilia sistema imunológico e é antioxidante.
·         Vitamina C (laranja, manga, goiaba, acerola, limão, tangerina, kiwi, caju): ajuda a reduzir a duração dos sintomas, anti-histamínico.
·         Vitamina A (alimentos de cor amarela, vermelha e verde escuro, por exemplo, mamão papaia, espinafre, cenoura, abóbora e abobrinha.): protege as membranas, mucosas que revestem olhos, nariz, pulmões.
·         Capsaicina (pimenta): diminui congestão nasal.
·         Alicina (é liberada do alho quando esmagado): estimulante do sistema imunológico, é considerado ótimo antioxidante.
·         Quercitina (maçã, cebola): ação antioxidante, preserva as células do sistema imune.
·         Proteína: responsável pelo fortalecimento do sistema imunológico. Carnes magras são saudáveis e os níveis de ferro encontrado na carne vermelha magra, no frango e no peixe ajudam a manter o sistema imunológico.
·         Ômega 3 e 6 (peixes e castanhas, como as nozes, castanha do para e caju): regulam algumas células imunológicas.


CUIDADOS NUTRICIONAIS EM PACIENTES COM REFLUXO

O refluxo gastro-esofágico (RGE) é uma patologia decorrente da falha anatômica e/ou funcional dos mecanismos de contenção do conteúdo gástrico no estômago.
Podem ocorrer alterações relacionadas à nutrição, à mucosa esofágica, à função respiratória ou ao aparecimento de sintomas neurocomportamentais.

Em crianças, os sintomas gastrointestinais da RGE variam de acordo com a idade, mas, em geral, incluem queimor retroesternal, dor epigástrica e regurgitação. Os sintomas respiratórios tanto em crianças quanto em adultos, incluem sibilos, tosse persistente e dispneia. Contudo, esses sintomas da DRGE são inespecíficos.
Sabe-se que determinados hábitos alimentares como alimentações volumosas, mastigação insuficiente, comer e deitar-se imediatamente após e alimentações noturnas
predispõem ao RGE.

Pesquisas afirmam que alimentos gordurosos (frituras), carboidratos (farinha, macarrão e tapioca), bebidas gaseificadas (refrigerante) e com altos teores de cafeína (café e chás) promovem incompetência do esfíncter esofágico inferior, alteram a capacidade de clearance, retardam o esvaziamento gástrico, anormalidades na mucosa esofágica, entre outras alterações, predispondo ao refluxo gastro-esofágico e conseqüentemente laringo-faríngeo.

Alimentos e medicamentos que aumentam a acidez gástrica, álcool, fumo, medicamentos anticolinérgicos, adrenérgicos, xantinas, bloqueadores de canais de cálcio e prostaglandina, devem ser evitados, sempre que possível.
De maneira geral, as dietas devem ser ricas em proteínas, visando vigor e força muscular. Entretanto, devem-se evitar alimentos pesados e condimentados, principalmente se são comuns sintomas de dispepsia, como pirose, epigastralgia, plenitude pós-prandial, eructações e flatulência.
O tratamento clínico tem como objetivo o alívio dos sintomas, a cicatrização das lesões e a prevenção de complicações.

Cuidados no tratamento de refluxo gastro-esofágico

Evitar deitar-se nas duas horas posteriores às refeições
Elevar da cabeceira da cama (15 cm)
Moderar a ingestão de alimentos gordurosos, cítricos, café, bebidas alcoólicas, bebidas gasosas, menta, hortelã, produtos à base de tomate e chocolate.
Redução do peso corporal em obesos


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
BARBOSA, A. L., et al. Manifestações Laríngeas do Refluxo Laringo-faríngeo e suas Relações com Hábitos Alimentares Manauenses. Arq. Int. Otorrinolaringol. / Intl. Arch. Otorhinolaryngol. v.12, n.1, p. 55-6. São Paulo, 2008.
Federação Brasileira de Gastroenterologia. Refluxo Gastroesofágico: Diagnóstico e Tratamento. Projeto Diretrizes-Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina. Outubro, 2003.
NORTON, R. C.; PENNA, F. J. Refluxo Gastroesofágico. Jornal de Pediatria. v. 76. Rio de Janeiro, 2000.

RATIER, J. C. A.; PIZZICHINI, E.; PIZZICHINI, M. Doença do Refluxo Gastroesofágico e hiperresponsividade das vias aéreas: coexistência além da chance. J. Bras. Pneumol. 37(5):680-688. Santa Catarina, 2011.
VICENTE, A. M. B., et al. Evolução Clínica e Endoscópica após Fundoplicatura para Tratamento da Doença do Refluxo Gastroesofágico. Arq. Gastroenterol. v. 46 – no.2 – abr./jun. 2009.

DICAS RÁPIDAS PARA ANTES, DURANTE E APÓS EXERCÍCIOS

A pratica da atividade física aliada a uma boa alimentação é o segredo para o bem estar e saúde, porém algumas práticas alimentares inadequadas podem prejudicar o rendimento e até gerar conseqüências indesejadas como mal-estar, dores de cabeça, perda de massa magra e fadiga.
O primeiro passo para acertar nos momentos antes, durante e após exercícios e ajustar a dieta do dia todo com refeições a cada 3 ou 4 horas contendo todos os nutrientes que necessitamos: carboidratos, proteínas, gorduras, fibras, vitaminas, minerais e muita água.

Antes de exercícios é importante que o “tanque” esteja com combustível suficiente para gerar energia. O organismo utiliza gordura e carboidrato durante todo o dia, sendo que, em momentos de maior esforço, o carboidrato é mais importante e, em momentos de repouso, entre as refeições, mais gordura (ver a queima numa chama de carboidrato citado abaixo). Portanto, para qualquer exercício questionado, um pão branco, bolacha, bolo (pouca gordura e cobertura) macarrão ou cereais sem fibra são indicados. O abuso dos mesmo pode prejudicar a queima de gordura para as atividades com esta finalidade, e, portanto, será necessária uma avaliação para checar a sua quantidade ideal. Não recomenda-se ingestão elevada de gordura ou fibras antes dos exercícios pois estes levam mais tempo para serem digeridos não disponibilizando combustível prontamente aos músculos.

Durante o exercício, a utilização ou não de bebidas contendo carboidrato vai depender do tempo e intensidade do mesmo. Segundo recomendação atual da Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte de diversos países, atividades com mais de 60 minutos podem ultrapassar o gasto dos estoques sendo necessária a utilização de 30 a 60g de carboidrato para as demais horas. O famoso isotônico que equivale (500ml) às 30g pode ser utilizado no caso da segunda hora de treino de uma academia ou do segundo tempo de uma partida de futebol, por exemplo.

Após, momento de recuperação total. Exercícios de força ou muito intensos pedem carboidratos e proteínas em maior quantidade, como massas e carnes magras ou sanduíches com recheio de frios ou laticínios com baixo teor de gordura. Para atividades mais leves, uma refeição balanceada será o suficiente.

COMO REDUZIR OS SINTOMAS DA TPM A PARTIR DA ALIMENTAÇÃO

Poupar o trabalho hepático é a primeira estratégia. Como o metabolismo dos hormônios estrogênio e progesterona acontece neste órgão, diminuir a quantidade de gordura, álcool e substâncias tóxicas pode auxiliar na degradação diminuindo automaticamente os sintomas.
Cuidado com frituras, queijos amarelos, gordura aparente, creme de leite, manteiga ou margarina, embutidos, etc.

Compulsão por doces
Evite açúcar, frutas doces, carboidratos refinados. Fracione as refeições para evitar longos períodos sem se alimentar e controlar a fome. Fibras auxiliam na regulação da absorção dos carboidratos, evitando picos de insulina. Utilizar farelos, frutas com casca e bagaço, folhas em geral e alimentos integrais.

Ansiedade
Comer carboidratos complexos ajuda na manutenção de energia para o sistema nervoso central diminuindo agitação e ansiedade. Evite café, chás estimulantes, chocolate e bebidas energéticas.
Vitaminas do complexo B em geral auxiliam na regulação da energia das células em geral – boas fontes são farelos de trigo, aveia, leveduras, alimentos integrais, carnes magras

Retenção hídrica

Redução de alimentos ricos em sódio como industrializados e temperos prontos em cubos ou saches. Azeitonas, alcaparras, aliche, conservas em geral, sal.
O aumento no consumo de talos como salsão, erva-doce, partes duras de acelga, brócolis, agrião e outros vegetais aumenta a excreção de líquidos.
Consumir mais líquidos como água, sucos diluídos, chás e água de coco auxiliam no bom funcionamento dos rins.

Dores nas mamas

Magnésio e B6 são nutrientes importantes na redução deste inconveniente sintoma. Boas fontes de B6: fígado, ovos, soja, aveia, farelo de trigo, batata, germe de trigo, cenoura, amendoim, nozes, etc

Magnesio (recomendação300mg/dia)
2 fatias de pão integral = 50mg
100g de espinafre cru = 80mg
100g de carne grelhada = 30mg
10g de farelo de trigo = 80mg
20g de farelo de aveia = 80mg

1 xícara de beterraba, brócolis, vagem, ervilhas = 30mg

Constipação Intestinal

A dieta deve se manter fracionada, rica em fibras, probióticos e prebióticos e com aumento da ingestão hídrica. Evitar o consumo de bolachas, torradas podem amenizar os sintomas. Prefira pães integrais. O objetivo é favorecer a motilidade intestinal e aumentar. Alimentos laxantes – ameixa, mamão, kiwi, semente de linhaça entre outras fibras.

MANEZINHO ARAÚJO LIGHT

Em homenagem a minha saudosa avó Lina, reduzi a quantidade de açúcar de uma tradicional receita muito solicitada por todos os familiares e ... Ingredientes 1 xícara de doce de banana (sem açúcar), 1 pacote de pudim de baunilha diet, 500ml de leite desnatado 2 claras de ovo (adoçante forno e fogão ou açúcar magro (para suspiro) Modo de preparo Em um refratário, coloque o doce de banana e por cima o pudim. Leve a geladeira para esfriar. Faça o suspiro e coloque acima – decore e leve ao forno até dourar. Servir gelado

EVITE O JEJUM PROLONGADO

A falta de tempo e de condições no preparo de refeições tem estimulado a população a cada vez mais optar por refeições rápidas, ou até mesmo não realiza-las, proporcionando grandes períodos em jejum. Porém, para um bom funcionamento do organismo é preciso garantir todos os nutrientes necessários ao organismo. Com um bom combustível e substâncias corretas para mover a engrenagem o corpo tende a reagir da melhor maneira!

Evite o jejum durante o dia!

Longos períodos sem se alimentar (jejum) podem causar deficiência de importantes nutrientes, causando possíveis distúrbios no corpo como perda de massa magra, fraqueza, cansaço, mau humor, raciocínio confuso, perda de memória, dores de cabeça, tontura e até mesmo desmaios.
Ao fazermos refeições de maneira equilibrada e constante, com intervalos constantes (3 a 4 horas) e em horários regulares mantemos os ritmos dos processos metabólicos no nosso corpo constante. Em outras palavras mantemos o metabolismo ativo proporcionando uma efetiva queima de gordura que acontece as 24horas do dia e auxiliando na manutenção ou na perda de peso.
Comer mais vezes no decorrer do dia não significa comer mais do que o necessário. O fracionamento das refeições deve buscar a presença de produtos saudáveis e diversificar o consumo, controlando as quantidades. Frutas, iogurtes, barrinhas de cereais, barrinhas de frutas, cereais integrais são excelentes escolhas para se intercalar entre as refeições principais.
Muitos estudos evidenciam que o fracionamento das refeições ao longo do dia, ajuda a reduzir a fome e evitar uma supercompensação nas próximas refeições e apontam uma relação inversa entre peso corporal e adiposidade, e a frequência alimentar
Além disso, uma alimentação fracionada pode ajudar a melhorar o comportamento cognitivo e humor, no entanto, a composição nutricional das refeições, junto a outros fatores, pode influenciar na melhoria deste comportamento.
Desta maneira, é indicado realizar, entre as grandes refeições, pequenos lanches para que se mantenha um bom funcionamento do organismo através da escolha de alimentos saudáveis e nutritivos, sem aumentar a ingestão calórica total
Assim, o emagrecimento torna-se mais lento, pois o organismo reduz o gasto calórico com o objetivo de poupar calorias, favorecendo então o ganho posterior de peso e aumentando também a probabilidade de abusar dos excessos nas próximas refeições.

O regime alimentar é aquele que possibilita a ingestão conjunta e equilibrada do nutriente reparador energético e regulador, necessário à nutrição do individuo para que este mantenha íntegras suas funções de crescimento, desenvolvimento e manutenção, evitando o desnível das atividades biológicas. Algumas ações práticas podem lhe ajudar:

· Planejar a alimentação – programar o que vai comer ao longo do dia, não optando sempre pelo que estiver por perto; esses alimentos nem sempre são a melhor escolha ;

· Fracionar a alimentação – realizar no mínimo 5 refeições por dia, não sobrecarregando nenhuma e garantindo energia durante o dia todo;

· Não treinar em jejum – incluir alimentos ricos em carboidratos antes do treino, mas tomar cuidado com o exagero, evitando o desconforto gástrico;

· Alimentar-se logo após treino – optar por carboidratos e proteína magra até 1 hora após treino, potencializando a recuperação do corpo e a formação da massa muscular;

· Incluir alimentos naturais e ricos em vitaminas e minerais – em geral, frutas, verduras e legumes, que trarão os nutrientes necessários para um bom funcionamento do metabolismo;

· Limitar as “escapadas” da dieta saudável – controlar as extravagâncias feitas principalmente nos finais de semana, sempre lembrando que muitos alimentos naturais e saudáveis são tão saborosos quanto os outros e muitas vezes menos calóricos;


DICAS PARA PERDER PESO COM SAÚDE

Para perder peso definitivamente você precisa pensar em longo prazo. As dietas que proporcionam resultados em menos de 2 semanas favorecem a perda de massa magra e não gordura, o que é facilmente recuperado e a sensação que ficamos é que dieta nenhuma funciona. Pense grande, faça para sempre. Com o passar dos dias você verá que é fácil e num futuro próximo você poderá desfrutar, de vez em quando, daquelas guloseimas que tanto gosta sem perder o resultado adquirido.
Mas quanto perder por mês?
A idéia é que você diminua o excedente de líquidos num primeiro momento, que poderá variar de 1 a 4 quilos. Depois disso a perda de gordura fica na média dos 2kg por mês.

COMO ECONOMIZAR NAS CALORIAS?
Ao substituir um lanche de pão francês por um lanche de 2 fatias de pão de forma integral ou light você economizará 80Kcal no dia. Isso em uma semana dará 560Kcal, e no mês 2240Kcal !!!! Isso sem calcular o recheio do lanche, como por exemplo trocar a maionese por queijo cotage, ou até requeijão light. Outra opção de troca são os leites integrais, pelos desnatados, sucos industrializado por sucos naturais, sempre usando 1 fruta para preparar o suco.

DIMINUINDO O PESO EXCEDENTE
A retenção hídrica deixa o corpo inchado, dando aquele aspecto “acima do peso”. Para evitar essa retenção, evite os alimentos que contenham muito sal, como por exemplo, os embutidos, alimentos defumados (prefira os cozidos). Durante as refeições suspenda a ingestão de líquidos.
Mas não se esqueça que para se manter hidratado devemos ingerir no mínimo 2 litros de água durante o dia!!!!
ATIVANDO O METABOLISMO
Para que seu metabolismo funcione bem, comer de 3 em 3 horas. Com a oferta constante de nutrientes, seu metabolismo será estimulado, ou seja, a queima de calorias será constante. Como exemplo, comece com o café da manhã, e depois de 3 horas faça outra refeição pequena como uma fruta ou 1 iogurte, logo terá o almoço e assim por diante. Apesar de muitas pessoas acharem de maneira errônea que o carboidrato é o nutriente que engorda, ele é fundamental para a queima da gordura!!! Então não deixe esse nutriente de lado, mas sempre em pequenas porções e de preferência integrais, como arroz integral, cereais matinais e pães ricos em fibras.
INTESTINO EM ORDEM = EMAGRECIMENTO EFICIENTE
As fibras - presentes nas frutas, legumes e verduras naturalmente e em alguns produtos industrializados - além de evitarem a total absorção das gorduras, ajudam no funcionamento do intestino, eliminando assim algumas toxinas. Para que os benefícios das fibras sejam alcançados é preciso da correta ingestão de água.

Portanto, os principais pontos de uma boa alimentação no emagrecimento com efeitos mais duradouros são: moderação, variedade e equilíbrio.

MORANGO


O morango é rico em vitamina C e, por isso, o consumo da fruta evita a fragilidade dos ossos e a má formação dos dentes. Ele também dá resistência aos tecidos, age contra infecções, ajuda a cicatrizar ferimentos e evita hemorragias. O morango também possui, em menor quantidade, vitamina B5, conhecida como niacina. Ela tem a função de evitar problemas de pele, do aparelho digestivo e do sistema nervoso. Na fruta, também é encontrado ferro, que faz parte da formação do sangue.
É rico em pectina e outras fibras solúveis, que ajudam no funcionamento dos intestinos e no controle do colesterol.
No morango os antioxidantes presentes são os taninos, glutationa e a vitamina C.

Receita: Torta de Morango Light
Ingredientes:
Cobertura:
1 caixinha de gelatina diet sabor morango
1 caixa de morangos
1 copo de água

Creme:
1 colher de (chá) de baunilha
1 colher de (sopa) de adoçante
2 colheres de (sopa) de amido de milho
3 copos de leite desnatado
2 gemas

Massa:
1 e ½ xícara de (chá) de farinha de trigo integral
2 colheres de (sopa) de margarina light
1 colher de (chá) de fermento em pó
1 colher de (sopa) de adoçante
1 ovo grande inteiro

Modo de Preparo:
Junte todos os ingredientes da massa e amasse com as mãos. Estenda em uma fôrma desmontável, corte as bordas laterais e fure a massa com um garfo. Asse em forno médio por cerca de 30 minutos até corar. Reserve. No liquidificador, bata todos os ingredientes do creme, menos o adoçante e a baunilha. Leve ao fogo e mexa até engrossar. Deixe amornar e adicione a baunilha e o aspartame. Esparrame sobre a massa assada e espere esfriar. Dissolva a gelatina na água quente e leve à geladeira para tomar consistência. Arrume os morangos sobre o creme e espalhe a gelatina por cima. Leve à geladeira e sirva quando estiver firme.



HIPERTENSÃO

A pressão arterial esta relacionado com a força queo sangue faz contra as paredes das artérias para conseguir circular por todo o corpo(Diretriz Brasileira de Hipertensão, 2010)
Atualmente 7,6 milhões de pessoas falecem no mundo devido a elevação da pressão arterial (Diretriz Brasileira de Hipertensão, 2010)
Fatores de risco para hipertensão arterial: idade, gênero, etnia, excesso de peso e obesidade, ingestão de sal, ingestão de álcool, fatores sócio econômicos, genética e outros fatores de risco cardio vascular (Diretriz Brasileira de Hipertensão, 2010)

A pressão arterial pode ser classificada para indivíduos acima de 18 anos em:


Classificação
Pressão sistólica (mmHg)

Pressão diastólica
(mmHg)

Ótima

< 120

< 80

Normal

< 130

< 85

Limítrofe
130-139

85-89

Hipertensão estágio 1

140 -159

90-99

Hipertensão estágio 2

160-179

100-109

Hipertensão estágio 3

≥ 180

≥110

Hipertensão sistólica isolada

≥140

< 90


Fonte: VI DIRETRIZES BRASILEIRAS DE HIPERTENSÃO – DBH VI
 
A pressão arterial é controlada através do controle de peso, estilo alimentar que deve ser rico em frutas, fibras e minerais, hortaliças e laticínios com baixo teor de gordura, redução do consumo de sal, aumentar o consumo dew-3 encontrado no azeite de oliva extra virgem, canola e oleaginosas como amendoim. Aumentar o consumo de fibras principalmente as solúveis como farelo de aveia frutas; praticar atividade física(Diretriz Brasileira de Hipertensão, 2010)

Dietoterapia
· O consumo de sal deve ser de 5g de sal para pessoas que não são portadoras da doença porem para os hipertensos de plantão deve-se reduzir a quantidade de sal ingerida para 2g.
· As fibras devem ser consumidas de 20 a 30g.
· Chocolate o chocolate amargo com alto teor de cacau promove a redução da pressão arterial.
· O vinho quando ingerido ( 1 taça – 300ml) contém polifenois que ajudam a diminuir a pressão arterial.
· A atividade física para a prevenção e tratamento de pressão arterial deve-se fazer pelomenos5 vezes por semana com 30 min de duração.